Autódromo de Jacarepaguá: Patrimônio do Esporte Brasileiro

Memória viva do Autódromo de Jacarepaguá

Luto e silêncio!

leave a comment »

Depois de mais de dois anos sem nenhuma nova postagem no blog, justificado pelo luto da perda de um dos melhores autódromos do mundo, resolvi dar uma atualizada em algumas páginas. Faço isto porque tenho guardados alguns arquivos importantes que ajudarão àqueles que queiram continuar a falar do Autódromo de Jacarepaguá, conhecer a estratégia de marketing imobiliário que envolve o Projeto Olímpico da cidade do Rio de Janeiro e a verdadeira história do Parque Olímpico da cidade do Rio de Janeiro.

Assim, graças aos novos recursos disponibilizados pelo WordPress que agora permitem o acesso ao formato PDF, sem que o blogueiro tenha que pagar mais por isto, comecei a disponibilizar alguns destes arquivos. Para quem se interessar na página Denúncias e documentos importantes já podem ser encontrados alguns deles como, a minuta do Edital do Parque Olímpico e outros.

O que é o Consórcio Rio Mais

with one comment

Há cerca de 8 meses o Autódromo de Jacarepaguá foi destruído para dar lugar ao Parque Olímpico. Durante este tempo as páginas deste blog não foram atualizadas. Este silêncio foi carregado de revolta  e expectativas em torno do que iria acontecer com  área que já foi palco de corridas inesquecíveis em diversas categorias do automobilismo nacional e internacional.
Hoje o espaço pertence ao Consórcio Rio Mais. Isto aconteceu num passe de mágica, através de uma PPP (Parceria Público Privada) espúria onde a Prefeitura do Rio concedeu o uso do que não era dela, mas sim do Estado do Rio de Janeiro, ao tal Consórcio. Tudo isto em troca apenas das obras de infra-estrutura do mencionado Parque.
Porém, constata-se a existência de um aspecto em relação ao Parque que a população da cidade não questionou até agora:  a Prefeitura do Rio já apresentou sucessivamente pelo menos quatro versões diferentes do que virá a ser o mesmo. Como o projeto da AECOM que ganhou o concurso não está sendo respeitado, aquela área pode ser tomada em breve por edifícios que nada terão a ver com o espírito Olímpico. Em nome destas diversas versões  já foram destruídos não somente o Autódromo, mas também: o Velódromo, a única via asfaltada que contornava o Autódromo dando acesso ao antigo portão 7 e uma das pistas do Clube CEU. Estão programados para serem totalmente removidos: o Clube CEU e cerca de 3000 pessoas que moram na comunidade de Vila Autódromo.
O VERDADEIRO OBJETIVO  destas remoções não é a construção de equipamentos Olímpicos, mas sim de uma Marina. Explicação: do outro lado da Lagoa de Jacarepaguá se tem acessso direto à Av. das Américas e a alguns  condomínios de luxo como Quintas da Lagoa, Laguna, Alphaville e outros. Já pensaram em como estas terras seriam valorizadas?
Formado pelas construtoras Andrade Gutierrez, Odebrecht e Carvalho Hosken, este consórcio, no fundo, pretende fazer do local uma cidade para poucos.
Na verdade, o que é o Consórcio Rio Mais?

RIO + DESTRUIÇÃO!
RIO + PRECONCEITO!
RIO + DESRESPEITO AO MEIO AMBIENTE!
RIO + ROUBO DE TERRAS PÚBLICAS!
RIO + REMOÇÕES E SACANAGEM COM OS POBRES!
RIO + FARRA COM O DINHEIRO DO POVO!
SE VOCÊ NÃO QUER ISTO PARA SUA CIDADE, AJUDE E DIVULGUE, PARA QUE TENHAMOS UM:
RIO SEM preconceito!
RIO SEM destruição de equipamentos esportivos!
RIO SEM PPPs suspeitas!
RIO SEM remoções e sacanagem com os pobres!
RIO SEM corrupção com o dinheiro público!

Afinal, se o mote fosse mesmo SOMOS UM RIO, seríamos um Rio para todos e não somente para os empreiteiros!

Written by Pescador de informação

15 de Julho de 2013 at 10:40

Autódromo de Deodoro não sai

with 3 comments

Esta semana a Vereadora Sonia Rabello publicou em seu blog um link para a Ação Civil Pública (10ª Vara Pública) que o GAEMA (Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente) do Ministério Público Estadual está propondo no sentido  de proteger esta riqueza ambiental da área destinada ao autódromo em Deodoro. Para acessar esta ação: Clique Aqui

Assim, por mais que o Prefeito se ache bom de conversa dificilmente conseguirá convencer todas os procuradores que compõe este grupo do MP de que esse autódromo é viável. Se insistir e quiser comprar a briga, esta pode durar no mínimo 10 anos.

A quem ele pensa que engana quando diz neste vídeo que irá convocar a CBA e a FAERJ com a presença do Ministro dos Esportes para o lançamento de Deodoro?

Pode ser que consiga enganar apenas os dirigentes destas duas entidades, porque os automobilistas cariocas já não acreditam mais nesta farsa. Nas redes sociais, o comentário é que se a CBA e FAERJ aceitarem a quebra deste acordo em troca desta mentira, elas perderão a credibilidade e a representatividade junto a aos seus afiliados. Portanto, é bom pensarem bem no que estarão fazendo, antes de entregarem o Autódromo de Jacarepaguá de vez. Pois uma coisa é encerrar o campeonato regional mais cedo, para facilitar as obras, mas outra bem diferente é deixarem destruir o que resta do único circuito onde ainda é possível a realização de provas de automobilismo no Estado do Rio de Janeiro.

Written by Pescador de informação

4 de Novembro de 2012 at 13:00

Se assim for…

with 2 comments

Se assim for, será um final apocalíptico com requintes de crueldade…

Existem rumores que o Prefeito pretende derrubar o que resta da pista do Autódromo de Jacarepaguá na próxima segunda feira dia 1o de novembro. Dão conta que ele estaria furioso com o que vem sendo dito sobre o autódromo pelas redes sociais e já decretou que a primeira coisa a ser derrubada é a torre de cronometragem que cairá espetacularmente sobre a pista com direito a filmagem e tudo.
Diante destas afirmações, estão estarrecidos não apenas os amantes do automobilismo, mas todos aqueles que zelam pelo patrimônio público desta cidade.
Já foi dito aqui em diversas ocasiões o quão desnecessária é esta destruição, uma vez que para se construir as instalações permanentes deste projeto não é necessária a derrubada do circuito atual. Levando-se em conta que as outras instalações serão provisórias por que destruir o que está em funcionamento? Por que não manter e adequar às obras do Parque Olímpico?
A insistência da Prefeitura em não cumprir sua parte no acordo firmado junto ao COB e a CBA demonstra o quanto esta instituição está se lixando não apenas para os praticantes do automobilismo, mas para todos os outros cidadãos. Quando joga para a União a responsabilidade não apenas pela construção do novo autódromo, mas pela parte operacional mais onerosa e se recusa a discutir novas bases para o projeto deste Parque, a Prefeitura está querendo apenas colher os louros dos Megaeventos e se eximir da responsabilidades.
Estranho nisso é o papel o Governo Federal: omisso e conivente! Entubou esse projeto do Parque Olímpico, vai pagar uma grande parte, perder seu patrimônio e ainda vai deixar um grande número de praticantes do automobilismo profundamente insatisfeitos e desconfiados.
Um Ministério dos Esportes que não reconhece a importância do automobilismo, o segundo esporte na preferência dos brasileiros, é no mínimo bizarro… Deixar o automobilismo carioca ao relento, sem sequer vir a público para dar um justificativa aceitável e que não seja ligada à urgência de se doar de vez um patrimonio público para construtoras, é inadmissível!
Temos a lamentar, além dessas mencionadas instituições, o papel da Casa Civil da Presidência da Republica que convenceu, não se sabe como, os dirigentes da CBA a relaxarem as ações judiciais que já estavam em curso. Questionar o Ministério Público Estadual que não acatou nenhuma das denúncias sobre a ilicitude do edital do Parque Olímpico que institui uma PPP suspeita cujo único consórcio que concorreu, saiu vencedor da licitação destas obras.
Não existem desculpas plausíveis para tamanha omissão, pode-se pintar os próximos jogos Olímpicos como um evento importante para o Brasil. A pergunta é: importante por quê e para quem?
As propaladas obras de infraestrutura necessárias prometidas desde o PAN 2007 não foram e não serão jamais feitas. Como exemplo temos a questão do saneamento do entorno do Autódromo, região alagadiça e com grande incidência de insetos e roedores, inclusive mosquitos da dengue. Não há um condomínio na região que possua ligação à rede de esgotos da cidade. A canalização deste arroio que passa ao lado do Autódromo foi prometida pelo governo estadual desde 2007. Essas fotos foram tiradas esta semana e mostram manilhas que aguardam a hora de serem colocadas, desde essa época. Se o interesse fosse a melhoria da cidade e o bem estar dos cidadãos, por que não foi feito isso até hoje? Ou melhor, por que não se começa a obra deste Parque por esta canalização, ao invés de destruir a pista?

O automobilismo carioca já enfrentou antes dias difíceis, mas agora parece que toda a população carioca viverá o tempo das trevas. Se assim for, será um final apocalíptico com requintes de crueldade…

Written by Pescador de informação

25 de Outubro de 2012 at 17:28

Vídeo sobre o Autódromo de Jacarepaguá

with one comment

Written by Pescador de informação

8 de Agosto de 2012 at 10:56

Os Moribundos não podem se defender!

with 2 comments

Rio de Janeiro, 05 de agosto de 2012

Carta aberta à Presidente da PETROBRAS Sra Graça Foster,

Prezada Senhora,

Nós, preparadores, pilotos  e público em geral do automobilismo carioca estamos chocados com a  Copa PETROBRAS de Marcas realizada no Autódromo de Jacarepaguá no Rio de Janeiro, hoje dia 5 de agosto. A começar pelo cartaz de divulgação que afirmava ser a última grande corrida em Jacarepaguá até a locução da prova que enfatizava que o público devia registrar com fotos os ultimos instantes do Autódromo de Jacarepguá. Este é o motivo nos move a escrever esta carta, pois os moribundos não falam e nem podem se defender!

Não se sabe se a senhora e suas diretorias têm ciência dos planos da Prefeitura do Rio para o mencionado Autódromo. Então, gostaríamos de esclarecer um ponto fundamental aos responsáveis pelo nome da PETROBRAS estar ligado a este tipo de propaganda negativa: o Autódromo de Jacarepaguá será mantido até o fim de 2012, bem como o calendário do Campeonato Regional de Turismo já que, até agora, não há uma alternativa viável para a prática deste esporte na cidade.

Minha senhora, já está difícil dar continuidade ao esporte que depende de patrocinadores num autódromo que está destinado a morrer, agora imagine como é ainda mais complicado fazer isto, diante do seu enterro previamente anunciado por alguns publicitários  que desconhecem princípios éticos e a luta dos profissionais desta modalidade esportiva na busca de patrocinadores. Infelizmente, alguns deles são pagos com dinheiro da nossa PETROBRAS. Digo nossa, porque a Senhora como funcionária de carreria deve saber o quanto este esporte contribuiu nas década de 80 e 90 para o aperfeiçoamento dos carros a álcool no Brasil, aqui mesmo, nesta cidade. A estatal patrocinava  e até dava nome a categorias de turismo e monoposto. Portanto, é em nome desta velha relação que lhe fazemos um apelo!

Há muito já não podemos mais confiar nos políticos locais, pois eles prometem coisas  e não cumprem. O Governo Federal que deveria defender este patrimônio público e do esporte nacional está aparentemente cego diante da possibilidade de sediar uma Olimpíada que vai durar apenas 15 dias. Achamos que o Ministro dos Esportes desconhece a importância do automobilismo não apenas como esporte, mas também de sua capacidade para testes no desenvolvimento de pesquisas sobre novas alternativas  ao petróleo.

Nossos dirgentes (CBA  e FAERJ) foram cooptados por medo ou por cobiça após uma reunião que houve este ano em Brasília e desistiram covardemente da luta. O Prefeito Eduardo Paes já anunciou oficialmente que o autódromo será demolido para construção do Parque Olímpico, sem dar uma alternativa para categoria.

Os políticos fingem ignorar até uma questão social importante, a de que alguns destes  profissionais de automobilismo têm neste esporte seu único meio de sobrevivência. No momento, a situação está tão ruim que aqueles que têm famílias para sustentar  estão sendo obrigados a migrar para outras atividades.

Sabemos o quanto a  PETROBRAS contribuiu para formatar o modelo de transporte de massa que ainda vigora em nosso país: o rodoviário.  Mas, temos certeza que  hoje a maioria de seus funcionários veêm  a inovação tecnológica como saída para este modelo que está dando sinais de exaustão. Entre estes, incluimos a senhora que no tempo da BR tanto incentivou o uso biodisel.

Assim, quem sabe, poderia de alguma forma, voltar a ajudar esta modalidade esportiva localmente e esses profissionais que foram um dia tão úteis ao desenvolvimento e à pesquisa? Considerando também a cidade do Rio de Janeiro como estratégica para PETROBRAS, poderia ajudar também na luta pela permanência deste Patrimônio do Esporte que é o nosso Autódromo de Jacarepaguá.

Mas, até entenderemos se não puder ou não quiser nos ajudar no que sabemos ser uma difícil empreitada.

O que finalmente ponderamos é  que se a PETROBRAS não tem interesse direto na destruição do Autódromo de Jacarepguá, não faz sentido pisar ainda mais naqueles que um dia foram seus colaboradores. Então, por favor, não permita que seus “profissionais” de publicidade interfiram na nossa luta! Eles estão nos tirando o que nos resta de dignidade, atrapalhando o retorno da verba de nossos patrocinadores. Acreditamos que tanto a categoria quanto o Autódromo de Jacrepaguá, merecem mais respeito.

Atenciosamente,

Jason Castro e equipe do site Autódromo de Jacarepaguá

Written by Pescador de informação

5 de Agosto de 2012 at 15:41

Pergunte a quem disse isso…

with one comment

Esta semana vários jornais, entre eles O Globo, publicaram entrevista  com a Presidente da EOM – Empresa Olímpica Municipal  sobre os preparativos da cidade do Rio de Janeiro  para as Olimpíadas 2016.  Infelizmente esses reparativos que deveriam ser amplos e englobar ações em áreas como Saúde, Educação, infra-estrutura em Turismo, se resumem a obras.

Mas, vamos ao comentários da sra Maria Silvia motivo principal deste artigo, pois verificamos que ela está totalmente desinformada não apenas sobre o autódromo, mas sobre diversas questões que abalam diretamente a sua posição de presidente deste orgão:

– Erra redondamente ao afirmar que o acordo com CBA seria para construir um novo autódromo em Deodoro, pois acordo não foi firmado com este objetivo. Nos termos acordados, a Prefeitura garantiria a realização, de todos os eventos nacionais e regionais programados para o Autódromo Internacional Nelson Piquet e também a construção de um novo autódromo, caso fosse necessário. Em todo o período da construção dos módulos olímpicos, a Prefeitura teria de disponibilizar o local sem qualquer interrupção para que seja cumprido o calendário das provas regionais e nacionais. O acordo não menciona Deodoro e não possui nenhuma linha sobre cronograma de demolição. Isto é pura balela!

– Comprometeu seriamente o Prefeito Eduardo Paes e alguns de seus secretários mais influentes, como Ruy Cesar e Carlos Osório ao incitar a imprensa para que questione aqueles que afirmaram que o velódromo teria nível olímpico. Na época que o velódromo foi inaugurado, Paes era Secretário de Esportes e Turismo do Governo do Estado do Rio, Carlos Osório era Secretário Geral do CO-Rio – Comitê Geral dos XV Jogos Panamericanos Rio 2007 e Ruy Cesar era Secretário de Esportes e Lazer da Prefeitura do Rio. Hoje Osório é Secretário Municipal de Conservação e Ruy atual secretário especial municipal para Copa.

Como vêem esta senhora, para se defender, jogou o próprio chefe e colegas aos leões ao levantar esta lebre. Parece que competência não é mesmos seu forte…

Mesmo tendo trocado de posição, é interessante observar como estas pessoas mencionadas acima estão sempre presentes, quando o tema é a destruição do Autódromo de Jacarepaguá. Primeiro no Pan 2007 e agora nos Jogos 2016. Quais serão os interesses pessoais dos três?

As imagens não mentem jamais. Esta foto tem uma vista privilegiada de cima do que restou do circuito de Jacarepaguá.  Foi feita uma sobreposição de imagens atuais do Google e das instalações do Parque Olímpico que permanecerão após os Jogos de 2016 e o resultado é surpeendente! Nenhuma das instalações permanentes fica em cima da circuito como é atualmente. Nem o Autódromoo de Jacarepaguá nem o Velódromo precisam ser destruídos, para as novas instalações! Então, por que eles insistem em fazer este absurdo?

Além do derrubar para construir, significar mais verbas federais, existe um mistério que cerca essas demolições que provavelmente todas as pessoas mencionadas acima saberão “contar”.  Inventam orçamentos mirabolantes. É uma piada que para reformaar o Velódromo custe 105 e para construir um novo 115 milhões. Pensam que somos otários?

Não é mais fácil deixar o que está aí para servir para treinamento e construir o outro ao lado , como mostra a simulação? Mas, façam um orçamento justo.

É lamentável que o Goveno Federal não esteja enxergando o que há por trás disso, pois terá que arcar com os custos destas construções!

Written by Pescador de informação

27 de Julho de 2012 at 16:52