Autódromo de Jacarepaguá: Patrimônio do Esporte Brasileiro

Memória viva do Autódromo de Jacarepaguá

A Justiça tarda mas não falha. Será?

leave a comment »

Desde outubro de 2009 quando começamos este blog em defesa do Autódromo de Jacarepaguá, nenhuma notícia foi tão promissora quanto esta: o acolhimento de 2 liminares para suspender a Licitação do Parque Olímpico. A primeira liminar foi impetrada pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro na 5a Vara a pedido da AMPAVA (Associação de Moradores da Vila Autódromo) em defesa de seus moradores e a segunda pela CBA na 6a vara.

No primeiro momento a grande imprensa ignorou o fato, para noticiá-lo somente após os blogs e redes sociais terem comemorado. O grupo UOL foi o primeiro, seguido por outros jornais e depois pelo portal G1 da Globo.

A importância destas duas liminares é grande. Num primeiro momento elas significam mais trabalho para a equipe jurídica da Prefeitura do Rio, mas a longo prazo podem significar a permanência da pista de Jacarepaguá, pois o Prefeito declarou, mesmo que erroneamente, que não destruirá o Autódromo até a construção de Deodoro. Erroneamente, pois o Sr. Eduardo Paes está cansado de saber que a palavra certa não é construção e sim inauguração.

Como a retirada da Vila Autódromo está se tornando praticamente impossível, a manutenção da pista fica sendo uma alternativa viável. A explicação é que, em tese, as construtoras se desinteressariam pela área devido a proximidade da favela e não haveria candidatos para construir o tal Parque, pois sabemos que o real motivo para a saída do Autódromo é a vergonhosa concessão do terreno à iniciativa privada.

Aliás, nunca na história deste país se viu uma licitação tão VERGONHOOOSA! É uma afronta ao povo que padece nas filas dos hospitais e do transporte público desta cidade, a Prefeitura empenhar 1,4 milhões de reais em instalações provisórias para depois ceder um terreno para a vencedora da licitação. É lógico que o terrreno não vale só isto. O troco deste valor, cada um imagine como quiser, mas não esqueçam das campanhas do executivo e legislativo municipal em outubro próximo. Copiaram?

É tudo tão maliciosamente maquiado com o aval da grande imprensa em nome de 15 dias de jogos que dá nojo!

Resta-nos torcer para que o bom senso e honestidade de alguns juízes prevalesçam, agradecer ao empenho de alguns poucos vereadores e deputados ao longo de seus mandatos pela permanência da Vila Autódromo, pois com isto indiretamente acabaram contribuindo para a nossa causa.

Mais que nunca, nós continuaremos a denunciar aqui os abusos comentidos em relação ao patrimônio publico pelo atual prefeito e secretários e apoiar aos companheiros de outros blogs e redes sociais que lutam por estas duas causas.

Para solucionar o impasse e mostrar que não somos contra os Jogos 2016 no Rio, gostaríamos de apelar para o bom senso dos governantes (alô Ministério dos Esportes e APO!) propondo a manutenção da pista, o que não impediria a construção destas tais instalações provisórias para os Jogos. Lógico, que se fizerem isto, tanto a pista quanto a área dos boxes do Autódromo de Jacarepaguá seriam reformadas. Já imaginaram quantos bilhōes de reais seriam economizados?
Mas, enquanto isso não acontece, a Prefeitura deveria honrar o acordo e fazer, pelo menos, uma manutenção preventiva das arquibancadas com a máxima urgência.

Anúncios

Written by Pescador de informação

19 de Janeiro de 2012 at 22:10

Novos escândalos envolvendo o cobiçado terreno do Autódromo

with one comment

Esta semana surgiu um novo desdobramento da questão que envolve a destruição do Autódromo de Jacarepaguá. Embora a empresa AECOM vencedora do concurso do projeto para o Parque Olímpico tenha previsto a permanência da comunidade da Vila Autódromo, o prefeito Eduardo Paes declarou desde o primeiro instante que a comunidade seria removida.
Assim, a Prefeitura dispensando o processo de licitação se utilizou de 3 empenhos diferentes para aquisição de um terreno na Estrada dos Bandeirantes tendo em vista o processo de remoção. O primeiro empenho foi no valor de 1 milhão e novecentos mil reais, o segundo no valor de 19 milhões e o último no valor de 19 milhões e novecentos mil reais.
Esta mudança de vírgula ou de um algarismo já estava difícil de ser explicada, mas, agora está complicado desfazer os rumores de que a empresa dona do terreno fez doações de campanha para Paes, e seus secretários Jorge Bittar, Carlos Minc, Pedro Paulo e Guaraná.
Enquanto isto, alguns vereadores tentam questionar juridicamente esta compra. O terreno de 85.000 m2 pertencia a Tibouchina Empreendimentos S.A. Esta empresa faz parte de uma companhia aberta de capital autorizado: a PDG Realty S.A. Empreendimentos e Participações . Estão no rol das controladas desta empresa, entre outras, as empresas Cyrela, CHL, Goldfarb, Klabin e o Grupo Rossi.
Investigar os doadores de campanha das últimas eleições e os negócios públicos realizados em nome de interesses privados pode ajudar a desatar alguns nós que envolvem a atual administração pública municipal. Sabemos que o interesse na destruição do Autódromo de Jacarepaguá está diretamente relacionado aos interesses destas empresas doadoras.
Ao apresentar o plano de negócios para a Olimpíada de 2016, Joaquim Levy*, secretário da Fazenda do Rio de Janeiro destacou que toda a cadeia produtiva da economia brasileira terá oportunidades de negócios decorrentes do evento. Segundo Levy, “O maior investimento é na construção do Centro Olímpico de Treinamento. Ele está sendo feito em cima do autódromo, ou seja, não foi preciso comprar o terreno”. Apesar da declaração, o terreno foi comprado e superfaturado.
Se não colocarem um freio já, os gastos para a viabilização deste parque ultrapassarão em muito às previsões mais pessimistas. E o pior, apesar disto, a cidade do Rio de Janeiro pode ficar sem nenhum autódromo.

  • * Citamos Joaquim Levy, pois o Prefeito Eduardo Paes ao destacar sua presença como representante do Governo do Estado no dia do do resultado do concurso do Parque Olímpico, o apresentou como quem de fato governa o Estado do Rio de Janeiro.
  • Written by Pescador de informação

    16 de Outubro de 2011 at 20:25

    Algumas considerações sobre o resultado do concurso do Parque Olímpico um

    with one comment

    Hoje saiu o resultado do Concurso do Parque Olímpico que pretende a remoção do Autódromo de Jacarepaguá e a instalação de um novo complexo desportivo tendo em vista os Jogos Olímpicos de 2016.
    O concurso, em parceria com o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), reuniu 60 trabalhos de escritórios de arquitetura de 18 países. Contou com a presença de diversas autoridades como o Prefeito do Rio de Janeiro, os ministros dos Esportes e das Cidades, o representante do Governo do Estado do Rio, o presidente do COB, entre outros. Após os rapapés iniciais foi lida uma ata pelo presidente da comissão julgadora do concurso. Esta mencionou que foram feitas eliminações de diversos concorrentes, porém sem explicar tecnicamente os motivos.
    Foram anunciados 6 finalistas: uma empresa brasileira ficou com a sexta colocação, de resto haviam dois portugueses, um australiano, um americano e a primeira colocação ficou com o escritório inglês Aecom de Adam William e Hanaway.
    O que se coloca em discussão não é o concurso em si, mas a completa omissão da CBA, uma vez que estava previsto em edital a saída do Autódromo. Esta entidade teve oportunidade, mas não questionou este concurso em nenhum momento. Nem se preocupou em contactar arquitetos para que apresentasssem propostas que aproveitassem o que resta da pista do Autódromo de Jacarepaguá. Simplesmente, se omitiu!
    Não devemos nos esquecer que esta semana esta instituição comemorou antecipadamente seus 50 anos de existência com festa no Copacabana Palace (1). Isto quer dizer que o seu dirigente máximo esteve nesta cidade para a comemoração, mas não se dignou a se interessar pelo destino do Autódromo de Jacarepaguá. Pasmem senhores, mas é isso mesmo!
    Neste episódio do concurso, ficam várias perguntas para serem respondidas por estes dirigentes festivos da CBA. Algumas dizem respeito ao futuro do automobilismo carioca:
    – O que a divulgação do resultado deste concurso significa na prática?
    – Até quando vamos ter corridas em Jacarepaguá?
    – Como está o andamento do novo autódromo?
    Mas, a pergunta que não quer calar é:
    – Até que ponto uma instituição que não luta pelo direitos de seus filiados merece representá-los?

    1- Nesta festa o Sr. Wilson Fittipaldi se manifestou em defesa do Autódromo de Jacarepaguá. Este respeitável senhor, figura proeminente do automobilismo brasileiro e paulista, chamou para si um problema que deveria ter sido abordado por nossos dirigentes. A ele que sempre foi merecedor de nosso respeito pelo que representa, todo nosso carinho e aplauso! Link apra a matéria aqui.
    2- Nesta mesma festa o sr Ricardo Leyser (o mesmo que foi processsado pelo TCU a devolver dinheiro do PAN) disse que prefeito Eduardo Paes atrasou a entrega do projeto e pediu que fosse feito um estudo detalhado da região de Deodoro, uma das mais carentes do Rio de Janeiro, e que os moradores sejam beneficiados, com a instalação de oficinas e das equipes no entorno do autódromo.
    Não ficou claro porém, se mecânicos, preparadores e chefes de oficinas de preparação seriam automaticamente removidos para lá (como se não tivessem vontade própria) ou se o sr. Prefeito iria tirar da cartola estes profissionais entre os moradores do local.

    Written by Pescador de informação

    19 de Agosto de 2011 at 15:17

    Prefeitura adia o resultado do concurso do Parque Olímpico

    leave a comment »

    Previsto para 15 de agosto, a divulgação do resultado do concurso do Parque Olímpico foi adiada para a próxima sexta-feira dia 19 de agosto às 10h. A notícia pode ser encontrada no site do IAB RJ.
    Aqui posts anteriores sobre a ilegalidade deste concurso e sobre a construção do Parque Olímpico Cidade do Rock .
    Devido às críticas recebidas, a Prefeitura recentemente o rebatizou de Parque dos Atletas. Porém, apesar dos protestos, esta parte do Parque está pronta e o Rock in Rio será realizado e será conhecido como Evento mais Anti-Ecológico do Planeta.
    Veja a foto do local antes da obra:

    Veja a foto durante a obra:

    O site do IAB RJ retirou hoje o acesso ao edital do Concurso e ao Termo de Referência. Mas, os mesmos podem ser encontrados aqui.

    Written by Pescador de informação

    15 de Agosto de 2011 at 20:43

    O que esperar de um dirigente esportivo?

    leave a comment »

    Esta semana o meio automobilístico foi surpreendido por um artigo do presidente da CBA Sr. Cleyton Pinteiro publicado no jornal O Globo.
    A surpresa se deu em primeiro lugar porque desde que o famigerado Projeto Olímpico para o Autódromo de Jacarepaguá veio a baila, este senhor nunca havia se pronunciado oficialmente a este respeito. Depois, porque já que tomara a atitude de publicar um artigo assinado em um jornal de grande repercussão, esperava-se que suas palavras fossem para tranquilizar o meio. Ao invés disto, foram palavras inócuas e que cobraram apenas o anúncio oficial da construção do novo autódromo. Tenho certeza que para todos que vivem deste esporte no Rio de Janeiro melhor teria sido se ele tivesse ficado calado.
    Ora Sr. Cleyton, de anúncios estamos fartos. Desde que o Rio de Janeiro foi declarada oficialmente cidade sede dos Jogos Olímpicos de 2016 nosso meio vive sob uma ameaça constante. Não somos inocentes e sabemos que a CBA tem um acordo judicial firmado em cartório com a Prefeitura do Rio e sabemos exatamente o que isto significa.
    Criamos através deste blog um abaixo assinado apoiando sua gestão para que este acordo fosse cumprido na íntegra, pois na ocasião a grande imprensa sequer mencionava o mesmo. Passados dois anos a imprensa não ignora mais este fato. Mas, o senhor parece ignorar o grande trunfo que tem nas mãos ao cobrar apenas um anúncio. Com ele e com o apoio do meio, o senhor tem condições de exigir muto mais. Exigir por exemplo, que só toquem no Autódromo de Jacarepaguá, após o outro estar completamente pronto, não importa quanto tempo isto demore.
    Se a licença x, y ou z para a construção lá em Deodoro não está pronta, não é problema seu, nem nosso. Se a Prefeitura do Rio planejou algo que não tem condições de cumprir idem.
    O que não pode acontecer em hipótese alguma é a CBA fraquejar e autorizar que destruam Jacarepaguá, sem que o novo autódromo esteja completamente em condições de sediar as provas do automobilismo regional e nacional. Assim, sr. Pinteiro, se o senhor não deseja deixar seu cargo de presidente da CBA com a alcunha de COVEIRO DO AUTOMOBILISMO CARIOCA é melhor que seja mais incisivo em suas palavras e ações!

    Written by Pescador de informação

    22 de Julho de 2011 at 16:06

    Para quem vive de notícia esta é velha. Na real, primeiro é preciso acontecer!

    with 2 comments

    A imprensa hoje noticiou sem entusiasmo uma reunião em que mais uma vez foi apresentado o projeto do novo Autódromo em Deodoro. Estiveram presentes os presidentes da CBA e da FAERJ, o secretário Municipal de Esporte e Lazer do Rio, Romário Galvão Maia, o secretário nacional de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser e alguns pilotos.
    Segundo matéria do site www.brasil.gov.br o Ministério traz para si a responsabilidade pelo projeto, mas não menciona se já houve o empenho da verba, nem de onde sairão os recursos. Nem o prefeito, nem o governador, nem o próprio ministro estiveram presentes a esta reunião. Então, o que há de novo nisso?
    Será que este Ministério agora quer imitar os factóides do antigo prefeito César Maia?
    Além disto sabemos que este secretário Sr. Ricardo Leyser é o mesmo que foi condenado pelo TCU a devolver dinheiro do PAN 2007, portanto não merece credibilidade. para ler clique aqui.
    O que existe de concreto até o momento é o acordo firmado entre a CBA, a prefeitura e o COB e nele está escrito que a CBA não pode entregar o Autódromo de Jacarepaguá até que o novo esteja pronto e funcionando. Deste modo, ficaria mais apropriado se convocassem a imprensa apenas quando isto acontecer de fato!
    A intenção deste acordo foi não prejudicar o automobilismo regional. Por mais absurdo que pareça a este secretário existem pessoas, famílias inteiras que a dependem do Autódromo de Jacarepaguá para sua sobrevivência. São pilotos, preparadores e mecânicos que fazem apenas o campeonato regional e arrancada. Não desmerecendo os pilotos que compareceram ao encontro, sabemos que nenhum deles vive exclusivamente do automobilismo carioca.
    Assim, todos aqueles que ainda dependem do Autódromo esperam que o acordo seja cumprido na íntegra. Aliás, na última corrida do regional o presidente da FAERJ Sr. Djalma disse para quem quisesse ouvir que caso o acordo não seja cumprido acionará a justiça.

    Written by Pescador de informação

    31 de Maio de 2011 at 16:38

    Concurso tenta legitimar o ilícito e o ilegal

    leave a comment »


    A Prefeitura do Rio lança hoje mais um capítulo da farsa para a construção do Parque Olímpico. Este concurso foi feito a pedido do IAB ( Instituto de Arquitetos do Brasil), pois em 2010 havia sido feito um processo de licitação para a escolha de um escritório de arquitetura que faria estudos complementares para as instalações esportivas do Parque Olímpico do Rio no Autódromo. Depois da chiadeira do IAB, o Comitê Rio 2016 decidiu cancelar em setembro o referido edital.
    Embora tenha sido divulgado no jornal O Globo de hoje a existência de um novo edital, o mesmo não foi encontrado nem no site da prefeitura do Rio, nem no site do COB.
    Na verdade esta farsa está sendo montada com a chancela do IAB para esconder erros gravíssimos de concepção. O primeiro deles é que a construção deste parque está prevista para 2013, mas não é mencionado o acordo judicial firmado entre o COB, a Prefeitura e a CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) que garante a esta última entidade que o Autódromo de Jacarepaguá só pode ser destruído após a construção de um novo. Neste caso, o edital para a construção do Autódromo deveria preceder ao deste parque.
    O segundo ponto é que a área, pelo menos, a da foto do cartaz do concurso, além do Autódromo, mostra o clube de Ultraleve e a Vila Autódromo. O clube está localizada em terreno da União e a Vila provavelmente também. Além disto, existe um processo judicial contra os moradores que se arrasta há mais de 18 anos na justiça. É óvio que nem o pessoal clube, nem os moradores querem sair dali.
    O terceiro ponto são as mencionadas PPPs (parceria público privadas). A prefeitura quer se apropriar de áreas públicas e depois das Olimpíadas destiná-las a construtoras? Mas, como? Sem regulamentar isto previamente? Assim, na maior cara dura? Quem eles pensam que somos ? Todos idiotas. Claro que terão aqueles sonhadores que se debruçarão sobre o projeto na tentativa de conseguir alguma notoriedade e fama.
    Finalmente, esqueceram de avisar aos incautos, que uma parte do projeto deste Parque Olímpico já está quase pronta. Fica bem do outro lado da Lagoa e sediará o evento Rock in Rio. Ali foram usados milhares de metros cúbicos de aterro em plena Área de Preservação Permanente. Ou seja, os arqutitetos que se habilitarem terão que queimar a mufa para legitimar uma série completa de ilegalidades cometidas contra o Meio Ambiente.
    Claro que para a Prefeitura é uma jogada de mestre, pois vai matar vários coelhos de uma só tacada. Resta apenas saber quem se habilita a concorrer num concurso que pode até não ser de cartas marcadas. Mas, que o vencedor não verá o seu projeto ser realizado. Não precisa nem ser muito criativo, mas tem que ter estômago, para seguir exatamente o que estava previsto no pré-projeto da candidatura. Pois, as construtoras que ficarão com o terreno, já delimitaram o que pode e o que não pode ser feito.

    Written by Pescador de informação

    25 de Abril de 2011 at 20:09